03 de Junho, 2014

A última benção de Padre Donizetti

Última benção coletiva foi dada no dia 30 de maio de 1955

Padre Donizetti chegou a Tambaú em junho de 1926 e se dedicou de corpo e alma aos seus paroquianos. Até 1954 a cidade considerava a santidade de seu Vigário como algo normal e próprio dos sacerdotes. Precisou alguém de fora experimentar e testemunhar os dons do sacerdote, sem descartar a ação da Divina Providência na descoberta e difusão dos milagres em Tambaú.

Uma cidade com 4.500 habitantes, em certo dia reuniram-se 200 mil pessoas. O perigo era muito grande, constituindo uma calamidade pública. O fanatismo das pessoas em torno do Pe.Donizetti chegou a um ponto insuportável. Decidiu-se, então, marcar a última benção coletiva para o dia 30 de maio de 1955.

Rosas no céu, milagres na terra

Chegou o grande momento: a multidão se aglomerava em frente à Casa Paroquial para receber a "benção milagrosa" pela última vez. Fotógrafos, cinegrafistas, repórteres, todos postados em palanques para registrar aquele momento histórico. Aproximava-se a hora da "chuva de rosas" anunciada pelo radialista Pedro Geraldo Costa, da Rádio Nacional, que organizou em homenagem ao Pe.Donizetti. Após a benção, possante avião da linha de transportes aéreos cruza sobre a praça, deixando na sua trajetória um rastro rubro de rosas despetaladas. Teco-tecos cruzando em voos rasantes.



comments powered by Disqus