18 de Outubro, 2017

Aposentado recebe graças através do Venerável Padre Donizetti

Nelson Duarte tem 54 anos, reside no centro da cidade paulista de Araras, e visita Tambaú pelo menos cinco vezes ao ano
Nelson Duarte tem 54 anos, reside no centro da cidade paulista de Araras, e tem uma devoção muito grande pelo Venerável Padre Donizetti. "A primeira vez que vim a Tambaú (SP) adquiri um disco de vinil com o nome de “Sinal de Esperança”. Sem dúvida foi realmente um grande sinal divino em minha vida. Dois anos depois, em 1981, tive anemia muito profunda. A doença atrapalhou até o meu trabalho na usina, pois não tinha firmeza nas pernas. Como residia no sítio, tinha muita dificuldade para realizar o devido tratamento. Vim a Tambaú com meus pais José Duarte e Orlanda Dorissi Duarte, que também tinham muita devoção no Pároco. Participamos da Missa no Santuário Nossa Senhora Aparecida, onde fiz o pedido com bastante fé para que o Padre intercedesse pela minha recuperação. Para enorme alegria, logo alcancei a graça da recuperação, ficando totalmente curado”, contou Nelson.
"Nos últimos tempos estou passando por uma situação também difícil com relação à saúde. Minha pressão está alta, totalmente fora de controle. Outra vez recorri ao Sacerdote pelo qual tenho muita devoção, solicitando mais uma vez sua ajuda pela normalização da pressão, e consequentemente pela recuperação total deste problema que causa bastante desconforto. Mais uma vez fui atendido em minhas preces, pois já está normalizada”, completou Nelson.
Como prova de sua confiança no Venerável Padre Donizetti, vem a Tambaú pelo menos cinco vezes ao ano. Participa da Santa Missa, visita a casa/museu onde viveu o Pároco, e faz questão de rezar muito em seu jazigo no Santuário.
Antes de retornar a sua cidade fez questão de demonstrar o seu amor e sua devoção ao Venerável Sacerdote. “Vou rezar muito mais para que ele seja beatificado pela nossa Igreja, porque ele merece por todas as ajudas que tem feito para as pessoas doentes e necessitadas de sua intervenção junto a Deus.”
 


comments powered by Disqus