18 de Janeiro, 2018

Papa aos jovens: sejam protagonistas no coração da Igreja

Um dos eventos memoráveis da visita de Francisco ao Chile foi o encontro com jovens no Santuário de Maipu

Um dos eventos memoráveis da visita do Papa Francisco ao Chile aconteceu nesta quarta-feira, 17. Francisco se encontrou com jovens fiéis no Santuário de Maipú, em Santiago.

A cerimônia teve início com um breve discurso de um dos representantes dos jovens. “Existe um país com uma diversidade de clima e pessoas que jamais o deixará sozinho”, disse Ariel Rojas, que fez a saudação inicial ao Papa.

Em seguida, teve lugar um momento particularmente simbólico. Foi apresentado o símbolo dos jovens para o Sínodo: os jovens carregaram a Cruz do Chile e Francisco colocou na Cruz uma fita, sinal do sangue derramado por Cristo.

O Santo Padre iniciou o discurso destacando a importância de se reunir com jovens e exprimindo a satisfação de encontrar-se no Santuário dedicado à Virgem do Carmo. “A Virgem do Carmo acompanha-vos para poderdes ser os protagonistas do Chile que sonham os vossos corações. E sei que o coração dos jovens chilenos sonha, e sonha em grande”, disse.

Os jovens, comentou o Papa, gostam de desafios e aventuras, mas o “problema” são os adultos: “Muitas vezes, com cara de sabichões, dizemos: ‘Pensa assim porque é jovem, depressa amadurecerá’. Até parece que amadurecer seja aceitar a injustiça, pensar que nada se pode fazer, resignar-se porque tudo sempre foi assim. Amadurecer é um sonho, é discutir entre vocês e não baixar a guarda. Está claro isto?”, indagou, sendo aplaudido pelos jovens chilenos.

Ele explicou que foi esta realidade dos jovens que o motivou a promover o Encontro e o Sínodo dos Jovens este ano, “para que se sintam e sejam protagonistas no coração da Igreja, para nos ajudar a fazer com que a Igreja tenha um rosto jovem”. “Quanta necessidade tem a Igreja chilena de vós, para nos sacudirdes e ajudardes a estar mais perto de Jesus!” – exclamou.

Francisco então contou o caso de um jovem que disse ficar aborrecido ao encontrar-se com o celular sem bateria ou sinal de internet, porque não podia acompanhar o que estava acontecendo e “ficava fora do mundo”. O Papa alertou que o mesmo pode acontecer com a fé:

“Sem a conexão com Jesus, acabamos por afogar as nossas ideias, os nossos sonhos, a nossa fé e enchemo-nos de mau humor (...) podemos chegar a pensar que tanto vale fazer algo como não o fazer. Ficamos desconectados do que está acontecendo no mundo. Começamos a sentir que ficamos fora do mundo, como me dizia aquele jovem”.

Francisco apontou aos jovens a regra de ouro de Santo Alberto Hurtado, jesuíta chileno: “Que faria Cristo no meu lugar?”. “Ser protagonistas é fazer o que Jesus fez. Onde quer que estejas, com quem quer que te encontres e seja a hora que for: Que faria Jesus no meu lugar? Ide com a única promessa que temos: no meio do deserto, do caminho, da aventura, sempre haverá a conexão, sempre existirá um carregador de baterias. Não estaremos sozinhos. Sempre gozaremos da companhia de Jesus, de sua Mãe e duma comunidade”.

“Sede vós os jovens samaritanos que nunca abandonam um homem caído no caminho. Sede vós os jovens cireneus que ajudam Cristo a levar a sua Cruz e compartilham o sofrimento dos irmãos. Sede como Zaqueu, que transforma o seu coração materialista num coração solidário. Sede como a jovem Madalena, buscando apaixonadamente o amor, que só em Jesus encontra as respostas de que necessita. Tende o coração de Pedro, para deixar as redes nas margens do lago. Tende o carinho de João, para repor n’Ele todos os vossos afetos. Tende a disponibilidade de Maria para cantar com alegria [ao Senhor] e fazer a sua vontade”, exortou, por fim, Francisco.


Fonte: Amex, com Rádio Vaticano


comments powered by Disqus