20 de Setembro, 2018

Papa: diabo usa os hipócritas, Jesus ensina o amor verdadeiro

Na homilia da Missa de hoje, Francisco falou sobre a hipocrisia e o perdão

Inspirando-se na Primeira Leitura e no Evangelho do dia, na homilia da Missa desta quinta-feira, 20, na Capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco refletiu sobre a hipocrisia e o perdão.

Jesus olha o pequeno gesto de amor

O Santo Padre observou que o trecho do Evangelho de Lucas narra que a mulher pecadora se mostra com muito amor a Jesus e não esconde seus pecados. O mesmo acontece com Paulo, na Primeira Leitura, que afirma: “Com efeito, transmiti-vos, em primeiro lugar, aquilo que eu mesmo tinha recebido, a saber: que Cristo morreu por nossos pecados”.

Segundo ele, os dois procuravam Deus com amor, mas um amor pela metade. “Paulo pensava que o amor fosse uma lei e tinha o coração fechado para a revelação de Jesus Cristo, (...) era um amor imaturo”, explicou.

Sobre a mulher pecadora, Francisco apontou: “A mulher buscava o amor, o pequeno amor. Os fariseus comentavam, mas Jesus explicou: ‘Os pecados que ela cometeu foram perdoados porque ela mostrou muito amor’. (...) Jesus olha o pequeno gesto de amor, o pequeno gesto de boa vontade, pega esse gesto e o leva adiante. Esta é a misericórdia de Jesus: sempre perdoa e sempre recebe”.

O escândalo dos hipócritas

Em relação aos doutores da lei, o Papa notou que estes têm uma atitude que somente os hipócritas usam com frequência: “se escandalizam”.

“Mas olha, que escândalo! Não se pode viver assim! Perdemos os valores. Agora todos têm o direito de entrar na Igreja, inclusive os divorciados, todos. Mas onde estamos?’. O escândalo dos hipócritas. Este é o diálogo entre o amor grande que perdoa tudo, de Jesus, e o amor ‘pela metade’ de Paulo e desta senhora, e também o nosso, que é um amor incompleto, porque nenhum de nós é santo canonizado. Digamos a verdade”, declarou.

Ser misericordiosos, como Jesus

Por fim, o Pontífice recordou a afirmação de Jesus de que os hipócritas “exteriormente mostram tudo belo”, “mas dentro têm podridão”.

De acordo com Francisco, a Igreja, quando caminha na história, é perseguida pelos hipócritas: hipócritas por dentro e por fora. “O diabo não tem relação com os pecadores arrependidos, porque olham para Deus e dizem: ‘Senhor, sou pecador, ajuda-me’. O diabo é impotente, mas forte com os hipócritas (...) e os usa para destruir as pessoas, a sociedade e a Igreja. A força do diabo é a hipocrisia, porque ele é mentiroso: se mostra como príncipe poderoso, belíssimo, e por trás é um assassino”, alertou.

“Jesus, que perdoa, recebe, é misericordioso, palavras muitas vezes esquecidas quando falamos mal dos outros. Pensem nisso: devemos ser misericordiosos, como Jesus, e não condenar os outros. Jesus no centro. Paulo, pecador, perseguidor, mas com um amor ‘pela metade’. Esta senhora, pecadora, também ela com um ‘amor incompleto’. E Jesus perdoa os dois. E encontram o verdadeiro amor: Jesus. Os hipócritas, que são incapazes de encontrar o amor, porque têm o coração fechado”, concluiu o Papa.


Fonte: Amex, com Vatican News


comments powered by Disqus