23 de Novembro, 2019

Bem-aventurado Donizetti Tavares de Lima, o Apóstolo da Acolhida

Cerimônia de Beatificação reuniu milhares de fiéis e devotos na manhã deste sábado (23)

Milhares de fiéis e devotos enfrentaram o sol e o calor intenso deste sábado (23), para acompanhar a Santa Missa e Rito de Beatificação de Donizetti Tavares de Lima, "Apóstolo da Acolhida". Foram 27 anos de espera, mas que para os devotos valeram a pena para ver o querido pároco receber o título de Beato, com a presença do representante do Papa Francisco, Cardeal Giovanni Angelo Becciu, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.
A emoção tomou conta de todos os presentes no momento em que foi mostrada a imagem do Beato Donizetti, muitos com os olhos marejados que, mesmo embaixo de guarda-chuvas e sombrinhas não escondiam a emoção de fazer parte desse momento tão especial e histórico para a Igreja.
Desde a publicação do decreto da Beatificação de Pe. Donizetti, no dia 6 de abril de 2019, até a data de hoje, devotos iniciaram uma verdadeira peregrinação ao Santuário Nossa Senhora Aparecida de Tambaú (SP). O local foi construído graças a um sonho do Beato Donizetti, concretizado apenas após o seu falecimento em 16 de junho de 1961. Hoje, o Santuário abriga o túmulo do Beato Donizetti, que conta agora com uma nova capela, aberta ao público.
O Cardeal Becciu chegou ao Brasil na sexta-feira (22), e visitou o Santuário, a Casa Museu Beato Donizetti, e outros locais. Para o Cardeal, o Beato Donizetti é um exemplo de sacerdote a ser seguido.
"Pe. Donizetti foi fiel a Deus, devoto da eucaristia, que se ocupava da juventude. Ele dava um grande amor para os menos favorecidos. E, ao mesmo tempo, ele tinha um carisma de sentir a presença de Deus. Ele sabia manifestar a presença de Deus. Todos os Santos são iguais, porque todos amaram a Deus com todo coração e amaram seus irmão e no final é a máxima do Evangelho, "Ama a Deus e ama os irmãos com todo o teu coração", declarou o Cardeal.

Beatificação