25 de Novembro, 2019

Em Missa de beatificação, cardeal destaca pastoreio do Padre Donizetti

Durante missa de beatificação do Padre Donizetti, no último final de semana em Tambaú-SP, o cardeal Angelo Becciu apresentou o novo beato brasileiro como um "verdadeiro pastor com cheiro de ovelhas", fazendo alusão ao termo utilizado pelo Papa

No último final de semana (23), houve uma celebração no município de Tambaú-SP, a fim exaltar a beatificação de Donizetti Tavares de Lima, o famoso “padre milagreiro”. O cardeal Angelo Becciu, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, esteve presente na cerimônia e destacou sua percepção ao novo beato brasileiro. Angelo destacou em sua homilia as diversas faces atribuídas ao Padre Donizetti, como “Bom Pastor”, “Zeloso Ministro de Deus”, “Precursor dos Direitos do Homem”.

Atenção aos problemas da família

Segundo o cardeal, é o amor de Deus e ao próximo que orientou as ações do padre Donizetti, que sempre dedicou sua atenção aos problemas da família. “Procurava prover em todos os casos de pobreza com remédios, alimentos e roupas. Construiu uma estrutura para cuidar dos necessitados, um abrigo para pacientes com tuberculose, uma mercearia de baixo custo e auxiliou os jovens no estudo, educando aqueles que não podiam frequentas escolas públicas por causa da pobreza de suas famílias. Eram os problemas de seu povo, que considerava sua família, sem olhar para a cor de pele, cultura, fé. Ninguém era excluído da sua atenção”, sublinhou o Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.

No ponto de vista de Angelo Becciu, o novo beato brasileiro foi percursos dos direitos do homem contra a desenfreada corrida imposta pelos interesses econômico, pois esteve sempre em defesa da justiça social. Segundo ele, em vida, Donizetti defendeu os pobres, os doentes e também os trabalhadores, denunciando sem medo os abusos e as irregularidades que ocorriam na sociedade naquela época, buscando também, ao mesmo tempo, conciliar as partes em conflito.  “Em vida, o pároco pregava abertamente em defesa dos necessitados, bem como em favor da abolição da escravidão e a promoção humana e cristã dos marginalizados”, ressaltou Angelo.

A oração como fonte inesgotável de energia

 Uma missão vasta e extraordinária como a do padre Donizetti tem um segredo: a oração. "Ele tinha uma devoção filial a Nossa Senhora, venerada como Nossa Senhora Aparecida", continua o cardeal, enfatizando que essa veneração é muito difundida entre os fiéis brasileiros.

De acordo com o cardeal, padre Donizetti foi uma figura exemplar de sacerdote. "A esperança no prêmio eterno tão profundamente enraizada em sua alma, que o tornava sempre pronto a enfrentar as provações diárias com calma, serenidade e abandono à vontade divina. Uma figura exemplar de sacerdote, completa do ponto de vista humano, espiritual e social que se distinguiu em viver em plenitude o Evangelho plenamente”.

segundo Angelo, Padre Donizetti considerava-se como o último dos sacerdotes, enquanto vivia a doutrina social da Igreja com coerência e determinação. Construindo um encorajamento para os atuais sacerdotes. “Ele constituiu assim ‘um encorajamento para nós, pastores de almas, para dedicar a nossa vida totalmente ao ministério, um modelo de discernimento vocacional que nos leve a ser luz e sal da terra’”, declarou o cardeal.

 

Exemplo de "Evangelho vivo" para religiosos e leigos

Para Becciu, o testemunho integral de um homem cristão de padre Donizetti, "discípulo de Jesus em constante caminho", tem grande valor para religiosos e leigos. "Trata-se de se envolver corajosamente nas diversas esferas culturais, sociais e políticas, implementando a doutrina social da Igreja e levando a mensagem vivificante do Evangelho com um comportamento propositivo e em uma perspectiva de colaboração e diálogo aberto com as várias instâncias", disse na ocasião.

O cardeal disse ainda que os sacerdotes de hoje poderão ser um exemplo de “Evangelho vivo”, tendo a vida totalmente dedicada ao serviço de Deus se, a exemplo do padre Donizetti, encontrarem a cada dia na oração a fonte do seu sacerdócio.

A beatificação do padre Donizetti, segundo o cardeal, também pode ser para os leigos "uma oportunidade frutífera de renovação espiritual e zelo missionário, especialmente para esta comunidade diocesana".

Angelo Becciu afirmou que famílias e jovens também são convidados a olhar com simpatia ao novo beato brasileiro, em um momento de perda dos verdadeiros valores e, olhando para ele, façam o seu claro testemunho de fé, com a coerência das escolhas de vida inspiradas no Evangelho.


Fonte: Amex, com Vatican News